garagem do odois

blog do thiago do odois

Fundo

Bomba a bomba

Frequentemente encontramos a seguinte situação: O pneu fura após muitos meses sem problemas, pegamos a câmara reserva (fechada por meses na pochete de selim), tiramos o objeto que causou o furo, fazemos a troca e quando vamos encher…nada.

Tentamos encher rápido e nada, devagar e nada, lembramos que na ultima vez que usamos a bomba portátil do quadro ela funcionou perfeitamente embora já tenha acontecido há alguns meses.

O que aconteceu na bomba para ela estragar? Muitas vezes uma bomba de ótima qualidade e muito pouco usada apresenta este problema.

Claro que isto pode ser causado por ressecamento das vedações entre outros fatores, mas na maioria o causador desse problema é mesmo arqui-inimigo da corrente e do cassete: a Sujeira.

Sujeira esta que também é conhecida por lama, poeira, areia, água suja, terra entre outros pseudônimos carinhosos.

Em geral este problema na bomba é agravado por 2 problemas.

  1. A fragilidade da vedação. Peças delicadas e espaçamentos pequenos são locais perfeitos para que grãos (de areia, por exemplo) causem danos.
  2. Esquecimento. Por ser pouco usada, muitas vezes fica de fora da limpeza, fora das revisões, fora das vistorias pré-viagens, etc.

E então, como evitar isso?  Pelo princípio de funcionamento, a bomba já tem sua própria vedação, mas exceto as que possuem tampinha própria, as demais bombas possuem a região do bico vulnerável. É no bico que acumula areia, lama. A solução simples é:

fechar o bico!

Entre as alternativas criativas e simples, eu particularmente recomendo utilizar um pedaço de câmara.

Utiliza-se um pedaço de câmara velha, descartada. É necessário que seja de aro 26″ para ter dimensões compativeis.

Corta-se uma tira transversal ( um tubinho) com dimensões pouco maiores que o diâmetro externo do bico da bomba, cerca de 25mm é sulficiente.

Em seguida basta “vestir” o bico da bomba com a tira de câmara e remove-la quando for utilizar. Fica discreto, é simples e barato e almenta significativamente a vida útil da bomba.

3 respostas para “Bomba a bomba”

  1. 12 agosto 2009 as 7:40

    Rogério Leite disse:

    Resolvi de forma ligeiramente diferente… FILME DE PVC PARA ALIMENTOS… Câmara, ferramentas e bomba tudo vai embalado em filme de alimentos de PVC, checado e trocado a cada aventura ou trilha. E também tomo o cuidado de prender tudo com lacres de plástico, porque não tem nada mais chato que ficar vendo a bomba caindo na lama devido aos solavancos e buraqueiras. Para cortar os lacres quando necessário, tenho um pequeno canivete suiço preso sempre na chave de casa (como não vou para canto algum sem ela, sempre tenho como romper os lacres se preciso!)…
    Outro problema que vc precisa pensar é no ressecamento das parte plásticas. Muitos acham que matériais plásticos por não serem biodegradáveis não sofrem alterações quando expostos ao sol. O sol aqui no Nordeste é uma constante. Raios UV são um dos principais degradantes das características mecânicas dos matériais plásticos. Eu não uso a bomba no dia a dia, circulando pela cidade, porque sempre tem um bombeiro ou posto por perto. Guardo-a em uma caixa fechada e ao abrigo do sol, junto com outras peças e partes pouco usadas. Quando saio para as trilhas, conecto-a a bike. Isto aumenta a vida útil da bomba. Em regra, sua técnica de proteger com um pedaço da câmara é ótima, para quem anda com a bomba todo o tempo, e em climas mais frios, apesar de que, por conta do afinamento da camada de ozônio, vcs tabém têm uma incidência maior de raios UV. Protetor solar nela! hehehehe

  2. 12 agosto 2009 as 10:17

    Rodrigo Stulzer disse:

    Boas dicas, tanto da câmera para proteger quanto do filme plástico!

    Abraços!

  3. 13 agosto 2009 as 21:36

    thiago disse:

    No dia a dia utilizo uma bicicleta mais simples ( por medo de assaltos) que pega sol sempre e não levo bomba pelos mesmo motivo que você comentou ( postos próximos). A bicicleta para estrada e trilha ficam com a bomba sempre presa, mas protegidas do sol. Isto dos raios UV deve ser a explicação para muitas dúvidas que eu tenho sobre ressecamento.Obrigado pela informação!
    Lacres plásticos são ótimos coringas para várias situações mesmo!
    Abraços ciclísticos!